sexta-feira, 10 de julho de 2020

Acerca da pré-época do Sporting

Por via das limitações a viagens impostas pela pandemia de COVID-19, temos observado uma pré-época atípica. Ainda assim, não sei se por mérito do treinador, da gestão do futebol ou se por pura sorte, parece-me ser a mais bem planeada pré-época dos últimos anos.

Ao invés de viajar milhares de quilómetros até uma Suíça qualquer para jogar com uns nabos da 3a divisão local e receber banhos de multidão, optámos por uma versão mais barata, em que continuamos a jogar com (sobretudo) nabos, mas a pouca distância de casa e em estádios com muitas cadeiras vazias. Ao jogarmos com equipas treinadas por Pepas, Petits e afins, podemos afinar a nossa estratégia para lidar com a realidade do campeonato Português, ou seja, muita paulada, anti-jogo com fartura e autocarros de jogadores nos 30 metros em frente à sua baliza.

Sinto que esta abordagem vem permitir aos jovens estar mais preparados para o que aí vem, e perceber quais os mais velhos com os quais não vale a pena contar. Também se nota trabalho nas bolas paradas, que devem decidir uns 95% dos jogos aqui no campeonato cá do burgo.

Qual cereja no topo do bolo ainda se vai testando a resposta da equipa aos "contratempos" com as arbitragens. Quase parece a sério. Não fosse um espectador mais atento notar as 5 substituições por jogo e poderia pensar que as arbitragens eram de jogos mesmo a contar para o campeonato.

Até ao momento as coisas têm corrido bem. Depois de um empate em Guimarães, que acaba por ter a desculpa de ter sido no primeiro jogo da pré-época, foi sempre a ganhar, tendo apenas cedido um empate contra o Tiago Martins. Pelo caminho tem dado para ver muitos jogadores jovens, restando apenas saber qual deles vai ser o primeiro a ignorar as juras de amor que agora vai fazendo para trocar o Sporting por um clube qualquer do campeonato Grego ou que jogue para o meio da tabela de Espanha, França ou Inglaterra. Também se vai percebendo que existem uns quantos jogadores do Sporting que nem lugar no Belenenses de Lisboa tinham (quanto mais na SAD de Oeiras) .

Posto mais de um mês disto, estamos prontos. Vamos fechar em beleza fazendo uma festa de campeonato a um qualquer clube do Norte, e a festa de despedida do treinador de um clube de um bairro de Lisboa (ou a festa de boas vindas do treinador que não teve a devida festa de despedida - ou melhor teve uma despedida em tribunal). Faz sentido. Tanto se fala de pacificar o futebol Português, nada como alinhar nas festas dos rivais, desde que mantendo o distanciamento, claro está. E sempre com máscara, não vá alguém pensar que o Carnaval do nosso futebol é a sério.

6 comentários:

  1. Caro Gabriel,

    A pré-época da arbitragem já vai longa mas ainda há trabalho a desenvolver como hoje se viu contra o Santa Clara. No jogo anterior, contra o Moreirense, gamaram-nos dois penalties. Hoje gamaram-nos um golo e um penalty. Deixam-nos, a nós, a discussão do que preferimos: se ser gamados de uma forma ou de outra. A decisão de nos gamar é dos árbitros (e só a eles compete) e deve ser coerente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João,

      Não vinha cá fazia tempo colocar uma das suas boas "postadas". Peço desculpa por o ter confundido com o Gabriel.

      Grande abraço

      Eliminar
    2. Caro Rui,

      É verdade, estava desligado há uns tempos, espero começar a ser mais assíduo. Ainda por cima depois da sua 'confusão', que é um elogio!

      Quanto aos árbitros não fazem confusões. Os jogos da pré-época mostram que estão em excelente forma, sabem exactamente quem devem e quem não devem prejudicar. Esperemos que os nossos jogadores aprendam a lidar com isso. Vão precisar ainda mais quando for a doer.

      SL

      Eliminar
  2. é um fenómeno que eu observo há cinquenta anos !!!!!!umas vezes mais , outras menos , mas o que mais me irritava , ás vezes mesmo no estadio eram alguns sportidiotas , que abundam no nosso clube ,que diziam que não jogamos o suficiente para ganhar ,o que ás vezes até era verdade . E explicar ou argumentar com aquela gente que o arbitro tem que marcar o que existir , independentemente de quem estiver a jogar mal ou bem ???? aliás acho que é uma das grandes diferenças entre os nossos rivais e nós ,eles quando estão aflitos aparece sempre uma decisão que os favorece , nos , quando estamos mal , uma decisão que nos prejudica .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Também não tenho dúvidas que abundam no nosso clube adeptos que acham que temos de ganhar não só aos adversários, mas também aos árbitros. Por exemplo, estou certo que há muito quem pense que o Sporting não se pode queixar do Tiago Martins porque naquela fase do jogo tinha obrigação de estar a ganhar por 2 ou 3. Não sei se é do hábito, mas sei de adeptos dos nossos rivais que pensam o contrário: se o clube deles entra nos descontos sem estar a ganhar a obrigação do árbitro é resolver o assunto que os seus jogadores não resolveram...

      SL

      Eliminar