quinta-feira, 5 de julho de 2018

A boataria e o palpite como principais desportos nacionais

O espaço público (desportivo) está transformado numa lixeira a céu aberto. Há mesmo um programa na TVI que se dedica dia após dia à boataria, sem que os seus intervenientes sinta o menor incómodo quando é desmentido na hora. Basta dizer que se têm “fontes” para se poder afirmar o que quer que seja, com um ar sério e grave. Que os próprios não tenham vergonha, não espanta ninguém. Que a Entidade Reguladora da Comunicação Social nada faça é que nos envergonha também e o caso fia mais fino.

Falar de bola é para todos, dado que todos veem jogos de futebol. Não os habilita a falar como especialistas (treinadores, jogadores, académicos, etc), mas habilita-os a falar como espectadores e adeptos. Não vem daqui nenhum mal ao mundo. O problema é que todos falam de assuntos sobre os quais o mero estatuto de espectador ou de adepto não os habilita. De repente, todos têm opinião sobre justas causas na rescisão de contratos de trabalho. De repente, todos estão habilitados a falar de estatutos e de procedimento administrativo. De repente, todos passaram a especialistas em análise económica e financeira de empresas. De repente, todos parecem “brokers” de Wall Street.

Quando estou doente, prefiro ir a um médico do que a um programa na TVI ou na CMTV. Começo a pensar que estou errado. Espero que a TSF faça um “fórum” sobre este tema. Se a maioria pender para os programas de televisão, por mim, o Serviço Nacional de Saúde tem os dias contados.

4 comentários:

  1. Caro Rui
    Tivemos uma passagem do modelo "jornal desportivo" para a televisão. Em vez de capas a dizer que vinha o a, o b e o c, tens noticiários às 18:00 e depois das 21:00 a especularem. Por outro lado, o modelo tabloide do Correio da Manhã, migrou do jornal para a televisão e a TVI24 procurou entrar nesse formato para lutar pelas audiências. Tudo isto merece uma análise mais aprofundada, mas mais do que isso é preciso ter uma estratégia de comunicação que use esta realidade em nosso proveito. Combate-la é uma guerra inútil e perdida. Era o mesmo que querer por o povo a teatro na RTP2.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Sérgio,

      Nós temos ou tínhamos o Saraiva para escrever "post". Resultados nunca se viram. Se era para isso, tinham-me contratado a mim. Nos intervalos, tenho tempo para umas bocas também.

      SL

      Eliminar