quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Pacto Leonino

No Sporting, vivem-se tempos de chumbo (a expressão é um pouco exagerada mas não me ocorre de momento uma mais feliz). Testemunho atrás de testemunho, o tribunal vai esviscerando o antigo presidente. Do atual não se vislumbra um projeto, uma ideia, um rumo que mobilize os sócios e adeptos, enquanto se vão recolhendo assinaturas para promover a sua destituição. Com novas eleições, seria o regresso dos pavões habituais com uma ou outra alma bem-intencionada que, sendo eleita, rapidamente iria congestionar ainda mais o Inferno. De um saco de gatos, evoluiríamos para um circo de feras, continuando cada sportinguista na sua trincheira com a possibilidade de se recolher em mais algumas, enquanto continua o fogo de artilharia. 

Esta minha angustiante reflexão encontrou alívio numa sugestão de leitura do meu amigo Júlio Pereira. Sugeriu-me a leitura do conto “Democracia Eletrónica” do livro “Sonhos de Robô” do Isaac Asimov, talvez a maior referência da literatura de ficção científica. O conto futurista, escrito há mais de cinquenta anos, descreve as eleições norte-americanas controladas por um supercomputador, que, recolhendo informação de todos os cidadãos, seleciona um, o mediano, o eleitor-padrão para escolher o Presidente dos Estado Unidos da América. Assim se evitam campanhas eleitorais e o confronto entre grupos de cidadãos organizados em partidos políticos, garantindo-se ainda que as preferências dos eleitores são cientificamente respeitadas. 

No nosso caso, sem o supercomputador, será necessário encontrar um método equivalente, produzindo os mesmos resultados. Proponho, assim, que se peça ao Leonardo Jardim para escolher um novo presidente, um com quem esteja disposto a trabalhar. Não tenho dúvidas que o sócio mediano, o sócio e eleitor-padrão, qualquer que ele seja, gostava de ser um Leonardo Jardim com as quotas em dia. Ah, estava-me a esquecer: é preciso contratá-lo primeiro!

8 comentários:

  1. Caro Rui Monteiro,
    Mais um post angustiante (a juntar ao de Grabriel Pedro de há dias). Enfim, ser sportinguista é meio caminho andado para a angústia. Mas, desde, o tristemente célebre, 15 de Maio de 2018,que a angústia tem-se entranhado nas nossas mentes ou almas. No norte, afastam a angústia, após um resultado menos conseguido, com uns palavrões ou ordinarices, em que o treinador, com cara de zangado, se notabiliza. Já no reino vermelho a angústia é preventivamente resolvida com a conhecida propaganda lampiónica, pois enquanto os respectivos adeptos andam entretidos com os negócios milionários de venda de flops domésticos ou importados, não há lugar a qualquer angústia.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      De facto, os outros gastam menos em Prozac, mas, em contrapartida, parece que andam sempre alucinados, não sei se é da LSD ou de outra coisa qualquer.

      SL

      Eliminar
  2. Como dizem os brasileiros, estamos no mato sem cachorro.(Gostei do JJ chamar vestuário ao nosso vestiário. Qualquer dia Jesualdo esta a dizer :Eh cara, mata essa bola. Falou?)

    A vida do Sporting esta dificil por culpa de quem se diz sportinguista. Ver Pinto da Costa com aquela meio sorriso trocista ao lado de Varandas a ouvir ; Varandas vai pro ca****o desconcerta qualquer um.
    Vamos ver quem vai pro ca****o, Varandas ou as claques?

    João Balaia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei dizer qual deles irá p'ro caralllo, mas posso dizer que o Sporting já foi p'ro dito.

      Acap

      Eliminar
    2. Caro João,

      A questão das claques não é uma questão exclusivamente do Sporting e o Varandas devia tratar mais dela como tal. O que ganhou na opinião pública pelas medidas tomadas deviam ter reflexos em posições institucionais junto da Liga, FPF e do Governo (o SE do Desporto é irrelevante, não tem peso político para uma coisa destas).

      Espero que esta guerra contra as claques não seja meramente táctica e encerre convicção profunda. Se é uma forma de ganhar tempo, então convém que o aproveite. A guerra contra as claques é importante mas é uma agenda curta para um presidente do Sporting.

      SL

      Eliminar
    3. Caro Matagalinhas,

      As notícias da nossa morte são sempre manifestamente exageradas.

      SL

      Eliminar
  3. Caro Rui,

    Obrigado por ter sintetizado tão bem o sentimento dos Sportinguistas. Apenas discordo de si na medida em que nas últimas eleições havia outro candidato, que até teve mais votantes, e que me parecia mais competente e preparado que o atual Presidente. Claro, que pode ser pura ilusão de um sportinguista entrincheirado...

    Em qualquer caso a sua proposta de solução eleitoral é genial. Finalmente alguém que parece ter um plano com pés e cabeça!

    SL

    ResponderEliminar