terça-feira, 30 de agosto de 2016

Jogo de mãos ... e de pés

Vi o jogo contra o Porto. Jogámos assim-assim. Ganhámos por um, mas podíamos ter ganhado por mais um ou dois. Ganhar começa a ser a normalidade. Se jogamos bem, ganhamos. Se não jogamos, ganhamos na mesma.

Acabou o jogo e começou uma berraria sem fim sobre as mãos. As mãos do Casillas. Estranhamente não sobre a falta de mãos do dito para as balizas, mas sobre as mãos dos outros. É uma desculpa, como qualquer outra.

No primeiro golo, não há uma única imagem que prove que a bola tenha sequer tocado no braço do Gelson Martins. Mas continuou-se a discutir noite dentro um acontecimento que não aconteceu, isto é, um não acontecimento. Deixo um conselho para quem gosta de analisar estes lances com todo o rigor (incluindo os próprios jornalistas), quando um acontecimento que é suposto ver-se não se vê, então é porque simplesmente não aconteceu.

No segundo golo a coisa fia mais fino. A bola vai à mão do Bryan Ruiz, depois de um cabeceamento de um defesa. Estou disponível para aceitar que o golo é irregular se os defensores desta posição afirmarem ao mesmo tempo, e sem se rirem, que se o lance fosse ao contrário devia ser marcado penalty.

O Casillas tem um problema com as mãos. Não com as dos outros, mas com as suas. No primeiro golo, começou por tentar defender o remate do Bruno César com os olhos. Conseguiu. Depois não conseguiu chegar primeiro com as mãos onde o Slimani chegou com o pé direito. No segundo, lançou as mãos, mas a bola passou por entre as ditas depois do remate com o pé direito do Gelson Martins. O Casillas, de facto, tem é um problema com os pés dos adversários e com a cabeça, já agora (na sequência de um canto, o Ruben Semedo chegou meio metro acima das mãos dele, cabeceando, de baliza aberta, para fora).

Este jogo tem uma moral simples. Sem jogar bem, o Sporting jogou melhor. É mais equipa ou, então, o Porto não é equipa bastante para o Sporting nesta altura. Inclino-me mais para segunda hipótese. A perder por dois a um, não fez um único remate à baliza na segunda parte. Acabou a meter avançados nos últimos minutos, apostando todas as fichas na tática da carne e do assador. Havemos de ver várias outras equipas a fazer o mesmo em Alvalade durante esta época, como o Feirense, o Nacional da Madeira e por aí fora.

Por fim, houve demasiado William Carvalho para a equipa do Porto. Já se sabia que o Willliam Carvalho era bem melhor que o Danilo, embora uns pândegos chegassem a defender o contrário. Ficámos a saber agora que o William Carvalho é melhor que o Danilo, o André André e o Herrera todos juntos.

27 comentários:

  1. Estava à espera da tua análise, e valeu a pena esperar.

    Mas acho que não tens razão quanto ao William ser melhor que o meio campo todo do porto, ele é melhor do que a equipa toda junta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma, também não exageremos! Pensando bem, o ponta de lança André Silva é melhor atacante que o William.

      Eliminar
    2. Meus caros,

      Cheguei a ter pena do meio campo do Porto. É que o bolso de trás dos calções do William Carvalho é um pouco acanhado e os três estava lá um pouco apertado.

      De facto não convém exagerar. O William Carvalho a jogar o que sabe é um dos melhores do mundo naquela posição. Quando não joga tão bem, por que mal não sabe jogar, é simplesmente o melhor jogador do campeonato português.

      Também tenho dúvidas se ele substitui com vantagem o André Silva. Não tenho dúvidas que substitui com toda a vantagem o Casillas.

      SL

      Eliminar
  2. Meu caro acho que lhe falta aí uma mão... um rapaz franzino com 1,88m e 83kg de peso, chamado danilo, sentiu uma mão no ombro e estatelou-se pelo chão fora... seria a mão de Deus que ajudou o Maradona? É que se não fosse essa mão o filipe não tinha marcado...
    SL
    Basco "O Leão"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Basco,

      Como diz a Morsa, sejamos sérios.

      No lance da falta sobre o Danilo o Adrien pisa-lhe ligeiramente o pé.

      Foi um pouco forçado admito, e também admito que a estratégia do frutas passasse muito(como se viu) em atirarem-se para o chão ao mínimo toque para assim ganharem faltas e bombearem bolas para a nossa área.

      É falta na minha opiniao, mas como disse, um pouco forçada.

      Contudo, prefiro ter levado o golo com esta falta do que se fosse outras que nem falta eram, mas que foram marcadas na mesma.

      SL

      Eliminar
    2. Meus caros,

      Não só é falta como os dois golos do Sporting são irregulares. O Casillas não tem nenhuma dúvida quanto a isso.

      SL

      Eliminar
  3. Tudo verdade. E pensar que o valor do William era posto em causa há um ano atrás. Continuo a dizer: desde o Paulo Sousa que não se via nada... parecido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Na resposta a um comentário anterior disse praticamente tudo o que penso sobre o William Carvalho. Sou capaz de ir mais longe. Em Portugal não me lembra de ver igual.

      SL

      Eliminar
  4. porra:
    "No segundo golo a coisa fia mais fino. A bola vai à mão do Bryan Ruiz, depois de um cabeceamento de um defesa. Estou disponível para aceitar que o golo é irregular se os defensores desta posição afirmarem ao mesmo tempo, e sem se rirem, que se o lance fosse ao contrário devia ser marcado penalty."

    Quem me dera ter sido eu a lembrar-me de escrever isto.

    nem acabei de ler o texto, vou lá acima ler o resto. Caso não volte cá abaixo, SL e keep up the good work.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, meu caro. E vá lá acima e volte sempre.

      SL

      Eliminar
  5. Caro Rui,

    Os jornalistas e comentadores adoram discutir acontecimentos que não aconteceram. Passaram horas a discutir a tal mão que não se vê. Passaram minutos a falar de incerteza no resultado, que para acontecer precisava que o Porto conseguisse fazer pelo menos um remate à baliza (já tinham feito o mesmo em Paços de Ferreira). E andam há dias (meses?) a falar em transferências, compras, vendas, trocas e milhões que ninguém vê.

    E no meio disto tudo surpreende que haja tanta gente que não consiga ver o gigante que joga no meio campo do Sporting. Espero sinceramente que essa "cegueira" se mantenha por mais umas horas...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João,

      O William Carvalho é o melhor jogador do campeonato nacional. Há quem não queira ver. Ainda bem. Não estou a ver quem o pudesse substituir.

      SL

      Eliminar
  6. O William Carvalho passou a jogar sempre bem a partir do momento que, neste espaço, deixou de ser mencionado como "WC".

    um grande texto. um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Cantinho,

      Fiz essa referência uma vez e corrigi de imediato depois de me chamar à atenção. Saiu sem querer.

      Para mim, o William Carvalho é o único insubstituível Temos o trauma dos trincos ou dos seis. Desde os tempo do Inácio, com o Dusher e o Vidigal, que não tínhamos este sector tão bem servido. Andámos anos à procura de pelo menos um que servisse. Até chegámos a acreditar no Rinaudo.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Sim, a venda dessa dupla do meio-campo foi-nos fatal na época seguinte.
      Parece que este ano também estamos a tentar desfazer a equipa...
      William e Patrício. Já "só" peço que estes também não sejam vendidos...

      um abraço

      ps: até um Luís Loureiro e Bruno Caires foram tentados para essa posição.

      Eliminar
    3. Caro Cantinho,

      Tenho que escrever sobre as vendas e contratações. Para mim, os insubstituíveis sempre foram o Patrício, o William e o Slimani. A possibilidade d encontrar substitutos à altura deles é muito reduzida.

      SL

      Eliminar
  7. Mais uma crónica de grande nível. Continue!

    ResponderEliminar