domingo, 3 de janeiro de 2016

Segurem o Lopetegui!

Há um mito urbano sobre a capacidade do Porto e, em particular, do Pinto da Costa para nos endrominar. Temos que lhes agradecer a contratação do Ghilas ao Moreirense, envolvendo 3,6 milhões de euros por 50% do passe. Se assim não fosse, hoje talvez estivesse no Sporting e não teríamos que contratar o Slimani por trezentos mil euros.

O Lopetegui surpreendeu-nos. Não jogou o Marcano. As nossas fichas estavam todas nele. Meteu o Martins Indi. Não chegou. O Slimani não estava para brincadeiras. Foram dois golos e devia ter sido mais um. Teve tempo a mais para preparar o cabeceamento. Teve tanto tempo que acabou por enviar a bola à barra.

A primeira parte não foi famosa. O golo surgiu finalmente de uma bola parada. O Porto esteve melhor. Cada bola no lado direito do ataque era um autêntico susto. O Jéfferson não defende mal. Simplesmente parece que não vê bem. Ou não vai à bola quando devia ou vai quando devia estar quieto. A conclusão é sempre a mesma: o extremo passa seja de que maneira for.

Esperava-se o pior na segunda parte. Não parecia possível que os laterais conseguissem parar o Brahimi e o Corona. O árbitro começou com uma pressão alta. Passada essa pressão, o Sporting não deu mais hipóteses nenhumas. O Jorge Jesus não deixou.

O Naldo esteve intransponível. Valeu por ele, pelo Paulo Oliveira e pelo Jéfferson. O João Mário fez um grande jogo, a atacar e, sobretudo, a defender. O João Pereira está-lhe agradecido seguramente. O Adrien esteve acima das suas possibilidades. Ninguém me convence que ele é capaz de fazer dois bons remates de fora da área num só jogo. O Bryan Ruiz é um fenómeno. O segundo golo é espantoso. Recebe a bola e avança, parece que a vai passar, para, torna outra vez a avançar, olha para um lado e passa a bola para o outro a isolar o Slimani. Já se disse tudo o que havia a dizer sobre o Slimani. Dois golos à ponta-de-lança num jogo decisivo.

Estou completamente de acordo com o Jorge Jesus. Digo-o com a mesma convicção dele. O Porto esteve muito forte: grande controlo de jogo, excelente posse de bola, bom trabalho tático. Em resumo, o Porto esteve muito bem. Eu gostei.

8 comentários:

  1. Caro Rui,

    O puerto teve uma oportunidade de golo na primeira parte, aquela na cara do Rui Patrício. O Aboubakar pagou cara a ousadia sendo retirado do jogo. Na verdade o puerto não difere assim tanto do União da Madeira na estratégia de jogar sem balizas, chamando-lhe eufemisticamente de tiki-taka com molho de francesinha. O plano continua: apenas não marcamos mais um ou dois para que o lopetegui continue na fruteira...

    um bom ano

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Gabriel,

      Gosto do "tiki-taka com molho de francesinha. O Porto é isso. Desta vez o Sporting não permitiu que isso fosse.

      Bom ano para si, isto é, um ano com o Lopetegui e o Rui Vitória e com menos APAF.

      Eliminar
  2. Também gostei muito:) E gostei ainda mais do Sporting e do resultado final! SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Enfim, gostamos os dois do mesmo: do conjunto.

      SL

      Eliminar
  3. Grande jogo do Sporting Clube de Portugal. Quem ganhou o jogo foi a equipa do Sporting não foi o Porto que perdeu!!! É que ganhamos dando banhos de bola a lampiões e andrades, e depois parece que a equipa do Sporting não ganhou os jogos pois, a derrota é sempre atribuída a erros de RV ou Lopetegui??!!Isto é injusto para a equipa e para o Clube - e é a abordagem que lampiões e andrades querem - e por isso os sportinguistas não devem ir por aí. SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      O Sporting fez um excelente jogo. O Porto foi um excelente adversário, sobretudo na primeira parte.

      SL

      Eliminar
  4. Caro Rui,

    Também gostei muito do Porto. Gostei ainda mais do Sporting. Gostei tanto do Adrien que ainda nem acredito. E também gostei muito desta deliciosa recordação do Ghilas e de como devemos estar agradecidos ao Pinto da Costa.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João,

      A do Ghilas é do me amigo Júlio Pereira que tem uma memória de elefante.

      O Porto, contrariamente ao que para aí se diz, não fez um mau jogo. Na primeira parte foi superior. Tem duas oportunidades flagrantes de golo. O Sporting foi mais eficaz.

      Ao intervalo estava convencido que se as coisas continuassem assim não seríamos capazes de ganhar o jogo. Felizmente, na segunda parte, o jogo mudou, sobretudo após os 60 minutos aproximadamente. Não só não permitimos que o Porto fizesse um remate à nossa baliza como criámos várias oportunidades de golo.

      SL

      Eliminar