domingo, 10 de janeiro de 2016

O bom Jesus é o nosso!

Vi o jogo rodeado de adeptos do Braga. O entusiasmo era grande ao intervalo. Um ou outro, mais veterano nestas andanças, recordava a final da Taça de Portugal. Só que desta vez não havia penalties. Tinha de ser durante os noventa minutos. Parecia impossível, apesar de estarmos a jogar com onze.

Na primeira parte, dois melros em dois tiros do Braga. O Sporting tinha jogado melhor. Teve três oportunidades flagrantes. Primeiro, pelo João Mário completamente isolado. Depois, pelo Slimani completamente isolado também. Por fim, o cabeceamento ao poste do Paulo Oliveira.

Era preciso mudar. O Jorge Jesus sabia disso. O sinal foi dado durante o intervalo. O Gelson Martins aquecia para entrar. Entrou quente, como se viu. Começou desde o primeiro minuto a dinamitar a defesa do Braga. Ganhou o penalty que dá o primeiro golo.

Era preciso continuar a mudar. O Jorge Jesus sabia disso também. Saiu o “chuta-chuta” e entrou o Montero. Arrancou um penalty, que foi perdoado ao Braga. Depois entrou em modo artístico e, ao mesmo tempo, displicente. Só podia marcar como marcou: transformando em fácil o que era difícil. Se fosse fácil também o tinha transformado em difícil. Mas a principal virtude da entrada do Montero foi a colocação do Ruiz do lado esquerdo, como se viu mais à frente.

As mudanças tinham que continuar. Havia jogadores a cair aos bocados. O Jorge Jesus continuava atento. Saiu o João Mário e entrou o Aquilani. O João Mário estava cansado. O Aquilani estava fresco, mas não se notou. Faltava o golo do Slimani. O Ruiz já lhe tinha metido uma redondinha na cabeça. À segunda não perdoou. Pelo caminho, o Rui Patrício safou mais uma à Schmeichel.

Mais um jogo destes e ainda acabamos a morrer de felicidade. É difícil fazer melhor. Para fazer melhor, é preciso arranjar uma defesa em condições. O Naldo facilitou no primeiro golo. O Paulo Oliveira meteu água o tempo todo. O Jéfferson é tão perigoso a atacar como a defender. Por incrível que possa parecer, o João Pereira tem estado melhor do que os seus colegas. Na segunda parte foi fundamental a empurrar a equipa para a frente.

É difícil dizer quem esteve melhor: se os jogadores, se o treinador, se os adeptos. Estiveram todos muito bem. Estiveram tão bem que se pode dizer que fizeram um só: o Sporting. 

14 comentários:

  1. Não acho que seja "incrível"! O João Pereira é um belíssimo lateral e nós temos a sorte de contar com ele. Depois de uma época parado, levou o seu tempo a ganhar forma, mas agora está "tudo normalizado". Já não vai falhar, como no início da época.

    Faz parte do jogo. :)

    Bom blogue, parabéns. Conto voltar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Não seria tão definitivo com o João Pereira. O que me parece também é que está sempre mais protegido o lado dele. Quer o João Mário, quer o Gelson têm ajudado.

      SL

      Eliminar
  2. Meu caro
    Concordo em absoluto consigo "ainda vamos morrer de felicidade# ou então, com o apoio da nossa defesa, vamos morrer, como dizia uma bracarense amiga da família, "de morte serpentina com uma simples" (tradução: morte repentina. com uma síncope).
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Aquela defesa esteve um buraco. Os dois golos são consentidos. Com esta defesa, ainda morremos de susto.

      Um abraço

      Eliminar
  3. "Agora falta o do Slimani!", foi precisamente o que pensei quando o Montero assinou aquela obra de arte:) Que dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Foi o que pensei também. Se o segundo golo fosse do Slimani tinha mais dúvidas. Sendo do Montero, faltava o golo da ordem do Slimani.

      SL

      Eliminar
  4. o Slimani parece o Freddy Krueger: povoa os pesadelos de todos os adversários do Sporting

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      O Slimani consegue ser mais feio ainda.

      SL

      Eliminar
  5. Grande resumo. Mais um! JPT SL!

    ResponderEliminar
  6. Excelente e sui generis a análise ao jogo que o Rui já nos habituou, mas eu se me permite gostaria de acrescentar algo diferente e que acho necessário transmitir (como já fiz noutros blogues que considero de qualidade) Aqui vai.Não podemos nem devemos esquecer os fabulosos adeptos que - mesmo com chuva, vento e frio - compareceram à chamada e estiveram em grande número em Alvalade (42.148). Não fora a feroz invernia e o Estádio estaria lotado em 2 jogos seguidos! Estes mesmos sócios/adeptos (12º jogador) foram quem levou a equipa quase ao colo há colossal remontada, há épica vitória. Por último. Após o intervalo (a Equipa estava a perder por 2 a 0) aquando da entrada da equipa do Sporting, não ouvi um assobio, ouvi e vi os sportinguistas levantarem-se, aplaudirem a equipa e gritarem, a plenos pulmões, "Nós acreditamos em vocês", "Nós acreditamos em vocês"...E isso fez toda a diferença.
    P.S.- 1) Quanto aos dois penaltis existentes a favor do Sporting: um foi marcado outro não!
    2) Alguns adversários, já repararam que Slimani é muito importante para o Sporting e como tal avançam com toda a artilharia. Os avençados, alguns jornaleiros, comentadeiros, economeiros de serviço, martelam a ideia de que o Slimani é um jogador maldoso de modo a que este seja castigado e o Clube se veja privado do seu contributo. Infelizmente custa-lhes muito ver o Sporting Clube de Portugal em 1º lugar, julgavam-nos...Moribundos. Saiu-lhes o tiro pela culatra. Continuamos e continuaremos a ser A maior potência desportiva nacional e um Clube com 3,5 milhões de adeptos, cerca de 300 núcleos espalhados pelo País, 138 mil sócios espalhados por 49 países, e 5 Continentes! Somos Grandes, Somos muito Grandes! Saudações Leoninas. JM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Completamente de acordo. O que mete impressão é a campanha na comunicação social para abafar os autênticos escândalos que foram os jogos contra o Nacional, do Porto, e contra o Guimarães, do Benfica.

      SL

      Eliminar
  7. Caro Rui,

    Excelente artigo. Termina com aquele que é o ponto-chave: não é o treinador, os jogadores ou os adeptos. São todos. É o Sporting.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João,

      Os futebol e os resultados vivem de profecias autorrealizáveis (as chamadas "self fulfilling prophecy"). Quando mais se acredita mais próximo se está do objectivo.

      Eliminar