terça-feira, 30 de dezembro de 2014

As alternativas que (não) há

Este jogo contra o Guimarães foi revelador sobre as potencialidades e limitações das contratações e do plantel do Sporting.

O Slavchev é um caso perdido. Não é um problema de adaptação ao futebol português. É um problema de adaptação à modalidade, nomeadamente ao formato rectangular do campo e à forma esférica da bola. Quem considera que o Rosell pode ser uma alternativa ao William Carvalho, confunde o género humano com o Manuel Germano, como diz o Mário de Carvalho.

O Ryan Gauld tem excelentes pormenores. Revelou-se bastante combativo, para aquilo que estava à espera. É um excelente projecto de jogador, mas ainda não tem a consistência e a rotação adequadas para jogar regularmente na equipa principal. Com o Podence passa-se o mesmo. Pareceu-me, mesmo assim, mais robusto fisicamente.

Na defesa as opções são mais complicadas. Entre o Maurício e o Sarr o coração de qualquer sportinguista balança. Se se tiver que optar, talvez seja preferível o Tobias Figueiredo (que fez um jogo competente). O André Geraldes esteve magnífico. Beneficiou de jogar com o pé contrário contra um extremo que também jogava com o pé contrário. Mas se o tal de Hernâni é um jogador espectacular, como para aí se diz e como diziam os comentadores, então o André Geraldes é o Cristiano Ronaldo dos defesas laterais. Meteu-o simplesmente no bolso.

No ataque, o que ficou demonstrado é que qualquer jogador é alternativa ao Capel. O Héldon, o Tanaka, o Sacko ou o Dramé, qualquer que seja o ângulo de análise, são melhores. Tenho dúvidas se eu próprio também não sou melhor. Daqui não se conclui que qualquer um deles seja exatamente o que mais precisamos.

Uma última nota para aquele que me pareceu, de longe, o melhor jogador do Sporting: Wallyson Mallmann. Para mim, não engana. É jogador de bola. Com ele, a bola está sempre em porto seguro. Sabe passar com acerto, desloca-se com a propósito dando sempre linhas de passe aos seus colegas. Entra de caras na equipa principal.

O Guimarães demonstrou a mediocridade do futebol português. Se percebi o que disse o treinador, a táctica passa por meter muitas bolas para dentro da área que alguma deve entrar; na parte final dos jogos, deve-se jogar à biqueirada para a frente e fé em Deus. De facto, o Guimarães teve mais bola, meteu umas tantas para dentro da área. Contrariamente ao que diz o treinador e comentadores, não criou uma oportunidade de golo. O Marcelo Boeck não fez uma defesa. Quando é preciso assumir o jogo e jogar em ataque continuado é que se vêem os treinadores; ou não se vêem, como foi hoje o caso.

A arbitragem foi a desgraça do costume. O Sporting com uma equipa de meninos, que mal se chegavam aos adversários, fez vinte e duas faltas. Em contrapartida, o Guimarães fez nove. A meio a primeira parte, o Sporting tinha nove faltas e o Guimarães nenhuma. A acabar o jogo, cortam-nos um lance que podia dar o segundo golo com um fora-de-jogo ao Tanaka completamente ridículo. Contra isso é que não há treinador que nos valha. A isto é que deve estar atenta a Presidência do Sporting e os sportinguistas.

27 comentários:

  1. Confesso-me um bocado confuso com a resposta de alguns jogadores hoje.
    Pelos vistos o plantel tem mais profundidade do que se dizia.

    Tobias - Contra mim falo, nunca coloquei em causa a sua qualidade, apenas a sua maturidade e capacidade de concentração.
    André Geraldes - Se este é o verdadeiro, para quê a insistência no Miguel Lopes?
    Wallyson - Prova provada que não é preciso deixar o Adrien esgotar-se em campo sistematicamente.
    Gauld - Fica assim tão longe do André Martins por exemplo?
    Heldon, Dramé, Podence, Iuri, enfim... qualquer um menos o Capel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Há alguns bons projectos de jogadores. Mas, com excepção do Wallyson, nenhum entra da caras na equipa principal.

      Os reforços ou são maus ou não passam do suficiente. Não vale a pena ter muitas ilusões quanto a isso.

      SL

      Eliminar
  2. "Quando é preciso assumir o jogo e jogar em ataque continuado é que se vêem os treinadores; ou não se vêem, como foi hoje o caso."

    não conseguiria pensar e dizer melhor.

    abraço, Rui

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Maldini,

      Com esta referência, já ganhei o dia.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Ò grande Maldini...o que tem essa frase mal??? Fiquei curioso!!
      Explica, por favor......

      Eliminar
  3. "Há alguns bons projectos de jogadores. Mas, com excepção do Wallyson, nenhum entra da caras na equipa principal." . Permita-me discordar, caro Rui.
    Exceptuando a necessidade de manter os colegas bem dispostos com a sua falta de jeito, não vejo qualquer outra justificação para preferir o francês de 20 anos relativamente ao "nosso" Tobias Figueiredo.
    Entre passes falhados que por sorte foram parar aos pés de toscos adversarios, passando por cabeceamentos com o ombro, de tudo fez o pouco jeitoso central.
    Este sim, com toda a certeza parece estar no desporto errado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      O Tobias Figueiredo fez uma bom jogo. Mas a alternativa não é entre o TB e os outros. É entre todos eles e o central que de facto precisávamos e não temos.

      O problema do TB é que ainda me parece um pouco verde. Deve ir entrando. Vai ser bom jogador. O problema é que se entra de caras, aos primeiros erros os adeptos não vão perdoar. Os defesas centrais e o guarda-redes são os jogadores que exigem mais maturidade.

      SL

      Eliminar
  4. Bem haja, amigo Rui Monteiro! Excelente texto, análise soberba!...
    Muito obrigado.
    Abraço e SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Álamo,

      Obrigado. Fizemos um jogo competente a defender contra uma equipa incompetente a atacar e que pensa ganhar jogos em contra-ataque ou em biqueiradas para a área. O Rui Vitória é o treinador, desde há muito, o treinador com melhor imprensa. Nunca vi uma equipa dele jogar como, por exemplo, jogava o Estoril na época passada.~

      Um abraço

      Eliminar
  5. Meu caro Rui
    Devo confessar que não me apercebi dos méritos do Wallyson da mesma forma que o meu caro. Até porque estive quase sempre em palpos a controlar as minhas emoções face ao que o Sarr fazia e para que lado estava virado quando o fazia. Afinal, acho eu, foi ele quem em grande parte desequilibrou o jogo. Apenas não o desequilibrando.
    Também quanto ao Rossel permito-me a discordar e acho que ele, o Germano e o William são do mesmo género, o dos humanos, aqueles que acertam mas também erram. De resto, estamos de acordo. Gostei principalmente do Geraldes aquele de quem eu em tempos aqui disse que tinha apenas uma qualidade: «uma imensa margem de progressão». Brinquei mas parece que tinha razão, o rapaz progrediu imenso, foi para mim o melhor jogador em campo bem secundado pelo Tobias.
    Não vou falar dos comediantes de Guimarães, jogadores ou técnicos, nem da arbitragem ou dos comentadores. É a farsada do costume.
    Apraz-me sim é verificar que este ainda é um espaço onde as ideias e as opiniões são livres. Tenho visto nos últimos dias alguns “importantes” blogues sportinguistas tornarem-se tão emocionais, apaixonados e “dedicados à causa” (aquela de quem eles por vezes parecem ser os únicos defensores) que começaram a mostrar uma certa cegueira face à realidade. Pior do que a lei da rolha que querem fazer imperar é a ausência de espírito crítico, a censura mais ou menos furtiva e a falta de sentido de humor, a pior de todas. Todas elas são machadadas graves em qualquer causa e na inteligência de quem as defende.
    Obrigado caro Rui por esta liberdade.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Trindade,

      Talvez tenha sido injusto com o Rosell. Mas irritou-me a forma como tínhamos sempre grandes dificuldades em sair com a bola sobretudo na segunda parte. Com o Wallyson, as coisas foram diferentes. Talvez a culpa seja do Slavchev. Baralha qualquer um e, portanto, também baralhou o Rosell.

      O Geraldes ganhou todas as bolas que tinha a ganhar ao Herrnâni. Meteu-o no bolso e mais nada.

      Gosto de futebol. Quando vejo um jogo esqueço-me de tudo o resto. O futebol é a minha terapia. Mas futebol é jogo. No jogo não entram presidentes, comentadores e por aí fora. O jogo é bola e jogadores.

      Um abraço

      Eliminar
  6. tb acho que foi injusto com o Rossell. Nao esteve espectacular mas tb nao esteve mal. Sarr pessimo e Slavchev... nao posso dizer nada de um jogador que nao aguenta mais de 10 minutos. Incrível.

    Vamos ver os proximos jogos para ver se as boas indicacoes de Gauld, Tobias Geraldes etc se confirmam.
    Wallyson pareceu-me bom com o pé mas com pouca intensidade a defender. Acho que temos de dar um desconto grande porque muitos têm pouco ritmo ou praticamente nenhum e provavelmente só tinham feito 2 treinos juntos. Para o que esperávamos foi bom e acho que temos potenciais reforços. Veremos nos próximo 3 jogos da taça da liga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Talvez tenha sido injusto com o Rosell. Traiu-me a minha inclinação para o William Carvalho. Esta ano está-se a ser muito injusto com ele.

      No que respeita ao Wallyson, tenho opinião diferente. Quem sabe o que fazer à bola e sabe estar onde deve estar não precisa de grandes correrias. O que é preciso é jogar com a cabeça, que é o que falta a muitos jogadores. Agora, esta análise é muito preliminar. O futuro o dirá se é justa.

      Não temos reforços com entrada direta para a equipa titular. Temos reforços que podem ir substituindo alguns jogadores da equipa titular. Com o tempo podem ser titulares. Mas não são muitos.

      SL

      Eliminar
  7. Eu também acho que os jogadores do Sporting têm os pés ao contrário.
    E que o Naby Sarr tem a cabeça ao contrário.
    E que o Freddy Adu, perdão, o Ryan Gauld tem as ideias ao contrário. E que o Slavchev tem os calções ao contrário.
    Agora culpar o arbitro pela situação do Sporting já me parece demais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Não percebeu. Vou explicar melhor. Ganhámos dois a zero com a equipa de reservas ao Guimarães. Repito, ganhámos dois a zero. Disto o que é não percebeu.

      Eliminar
    2. Mas eu disse que não percebi?!
      Está muito bem explicado o seu post. Alias, diz tudo. Está tudo ao contrário. E a culpa é dos árbitros porque o Vitória tinha zero faltas a meio da primeira parte. Onde já se viu tal coisa! Uma equipa não fazer faltas.... que roubalheira...

      Eliminar
    3. Meu caro,

      Continua a não perceber. Ganhámos dois a zero. Está percebido agora?

      Eliminar
  8. Bom jogo da equipa do Sporting. Capacidade de sofrimento e eficácia nas poucas oportunidades de que dispôs. Muitos cantos sofridos mas a certeza de que não iríamos sofrer qualquer golo por essa via. Reforços para jogar já apenas Tobias Figueiredo que é francamente melhor que Sarr e do que Maurício. Julgo que acrescentaria alguma qualidade ao sector defensivo do Sporting. Parece-me que Marco Silva está atento a este jogador. Dos restantes o que mais me agradou foi o Wallison que de todos os médios que jogaram mostrou ser o que tem mais qualidade. Excelente pé esquerdo, grande capacidade de passe, visão de jogo. Não engana. O melhor jogador da equipa B do Sporting. Gould tem evoluído. Ontem começou mal mas foi sempre melhorando, muito participativo na recuperação de bola e com uma capacidade de passe longo muito boa. Está-lhe a fazer bem o estágio na equipa B. Deve continuar por lá. Geraldes esteve muito bem e não é tão mau como todos os pintaram. Defendeu muito bem contra um adversário muito dificil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Só tenho uma dúvida. Não sei se o Tobias deve entra de caras na equipa titular. É que a defesa é sempre um cemitério de jogadores jovens. Acho que deve ir entrando.

      O Wallyson pareceu-me grande jogador. O Geraldes também esteve muito bem. Contrariamente aos nossos laterais, sabe defender.

      SL

      Eliminar
  9. É sempre uma leveza por aqui... Uma descompressão ir racionalmente sã..
    Estou um poeta, viva o Geraldes.
    Rui, desta não estava à espera, o Maldini com o efeito Geraldes, deve ter ódio de morte ao outro Rui, o das derrotas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      O Rui Vitória tem (boa) imprensa inversamente proporcional ao futebol praticado. Nunca vi uma equipa dele jogar qualquer coisa que se veja.

      SL

      Eliminar
  10. Não deixa de ser curioso o autor ter há cerca de mês e meio ter defendido a troca de William por Rossel num post bastante agastado sobre "nacionalismos"... Valha-nos a bipolaridade característica tão nossa..

    Z

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Duas recomendações.

      Se quer efectuar referências ao que se vai escrevendo por aqui convém ir passando por aqui e ir lendo. É que nada disso alguma vez foi escrito. Se o tivesse escrito também não havia problema nenhuma. Mudámos de opinião em assunto bem mais sérios.

      Se não tem nada para dizer, não diga nada.

      Eliminar
  11. Eu passo por aqui muitas vezes acredite. Gosto até da maioria dos posts :)

    Já agora a 1 de Outubro no post "Felizmente não sou nacionalista":

    "Não sou nacionalista por isso arrisco que o William, infelizmente, deve ir para o banco e dar lugar ao espanhol Rosell."

    Quanto a mudar de opinião não acho que seja "crime", desde que não seja como os interruptores :)

    Z

    ResponderEliminar
  12. Confesso, disse isso.
    Um único reparo, fui eu o Trindade que o disse e não o Monteiro.
    Bom ano novo

    ResponderEliminar
  13. Então também lamento a confusão... Também só disse o que disse porque me irrita bastante a nossa "bipolaridade"...

    Z

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Está esclarecido. Volte sempre.

      Um abraço

      Eliminar