terça-feira, 3 de maio de 2016

Phishing for Phools

Ando a ler “Phishing for Phools” (na edição portuguesa da Actual Editora, “À Pesca de Tolos”) de Akerlof & Shiller. Os autores procuram explicar-nos que o mercado se não for derivadamente regulado mais não faz do que nos oferecer o que verdadeiramente não desejamos, manipulando-nos através da exploração das nossas fragilidades. Mais do que uma instituição que incentiva a produção e consumo de bens e serviços necessários, constitui um contexto de interação económica e social privilegiado para a prática da pesca de tolos. O atual momento futebolístico presta-se a essa pesca de tolos.

Existe uma campanha de condicionamento do Sporting. Nada de especial. Normal até, tendo em consideração os tempos mediáticos em que vivemos: em que o que parece é e o que é nem sempre é o que parece. Aparentemente, essa campanha não visa diretamente o Sporting ou os sportingusitas. No subtexto, pretende afirmar que não é nada com o Sporting ou com os sportinguistas, mas exclusivamente com o seu Presidente. Pretende dizer-nos que se o Presidente fosse outro nada disso ocorreria e que tudo o que vai saindo na comunicação social é uma simples reação a posições do Presidente.

Esta narrativa, como agora se diz, é inteligente. Divide para reinar. Há os sportinguistas e os adeptos do Presidente. Uns e outros só coincidem em parte. Nem todos os sportinguistas gostam do Bruno de Carvalho. Está criada uma oportunidade para a pesca de tolos.

Esta campanha só existe porque estamos a disputar ombro a ombro com o Benfica a vitória no campeonato. Se assim não fosse, dissesse o que dissesse o Presidente e ninguém se daria ao trabalho de lhe responder. Qualquer que fosse o presidente, nas atuais circunstâncias teríamos a campanha que temos. Não há ilusões quanto aos propósitos. A campanha dirige-se a nós, sportinguistas, e visa criar dificuldades adicionais na conquista do título. Estamos habituados a ser pescados de uma forma ou de outra. Não queremos é ser pescados como tolos.

6 comentários:

  1. Brilhante!
    Até porque o grande ódio durante os últimos anos foi o porto... Como esses não dão luta agora, já não são tão maus. Como diz e bem, o pinto da costa não teve resposta no sábado...
    Os tolos são também invejosos, porque odeiam quem quer que seja que ouse tentar tirar-lhes o que por decreto é deles... serem os maiores!
    SL
    Basco "O Leão"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado. Não podemos é ser nós os tolos.

      SL

      Eliminar
  2. Ó amigo, releia lá o livro, que o mercado é derivadamente regulado sim senhor.
    O Vitor Pereira é presidente de um organismo de regulação, o conselho de arbitragem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para se ser amigo é necessário ser-se conhecido primeiro. Não se pode ser amigo de quem se desconhece. Voltemos ao "post". Mas quem é que falou em arbitragem? Permita-me a liberalidade de um conselho de "amigo": antes de comentar, leia primeiro.

      Eliminar
  3. Bom post. Rui Monteiro, vale a pena ler este bom e completo post, que encontrei no blogue bola na rede: http://www.bolanarede.pt/futebolnacional/sporting/o-absolutismo-benfiquista-ou-quando-o-delirio-se-torna-regra/

    ResponderEliminar
  4. Se ganharem o campeonato esses adeptos são capazes de vir a gostar do BdC...

    ResponderEliminar