segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Onze contra dez

Muitas análises salientaram que o Sporting só ganhou ao Braga porque jogou cerca de uma hora contra dez. Aparentemente, onze contra onze, o Braga ganharia, como parece decorrer, para quem assim pensa, da forma como se jogaram os primeiros trinta minutos.

Este raciocínio contém uma falha factual. Parece pequena mas é enorme. Foi a jogar onze contra onze que o Braga ficou com dez. Foi o mérito dos onze jogadores do Sporting, especialmente do Montero (mas que se não jogasse jogávamos com dez), que fez com que o Braga ficasse a jogar com dez. Não faz sentido, assim, a análise contrafactual.

8 comentários:

  1. tendo esses mesmos analistas e ate o "professor", esquecido que contra 9, tambem sepode perder...como o "Prof. ainda devia estar lembrado... eheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      O Jesualdo perdeu uma excelente oportunidade para explicar como é que se perde a jogar contra nova. É mais fácil explicar como se perde a jogar com dez, esquecendo a razão porque ficou com menos um.

      SL

      Eliminar
  2. Factos:

    - O FCP e o SLB são os candidatos ao título.
    - O Braga também seria, se estivesse em segundo, e a jogar o futebol semelhante ao que o Sporting mete em campo. Como não está, não é.
    - O Sporting não é candidato ao titulo. Tem uma equipa que não vale os milhões do SLB e do FCP, portanto não pode ser. E uma equipa demasiado jovem.
    - Todos os adversários do Sporting até à data, eram fracos. Fiorentina, Arouca, Académica, Rio Ave. O Benfica, coiso e tal, e o Braga é porque ficaram com 10.
    - O Sporting não pode reclamar de arbitragens porque foi beneficiado numa delas.
    - O Sporting devia reclamar de arbitragens, porque senão é hipócrita e vai certamente reclamar de arbitragens quando for roubado. Ou quando foi roubado. Mas não reclamou? Whatever!

    ResponderEliminar
  3. Caro Rui,

    Excelente análise!

    O Braga ficou reduzido a 10 unidades não por "azar" como parecem fazer querer, mas porque o Sporting, para além de fazer pressão alta, tem um jogador que decide, que faz a diferença.

    O Sporting soube aproveitar muito bem a vantagem que teve. Inúmeras vezes isso não acontece, mesmo com equipas em que se investem milhões e com grande "maturidade". Não se precipitou, não arriscou e não deixou que o jogo entrasse numa espiral disciplinar da qual apenas sairia a perder. Ainda assim, mais uma vez, estivemos em vantagem e deixamos o adversário crescer e empatar. Jardim tem aqui trabalho a fazer.

    Uma nota final, também tenho direito a um "se". Se o mesmo acontecesse a um dos nossos adversários - ganhar em Braga por ter aproveitado da melhor maneira um momento do jogo - ninguém falaria de sorte, todos falariam de "estrelinha".

    SL,
    João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Estou muito de acordo com o seu segundo parágrafo. Foi estratégico o facto de o Sporting com dez não pressionar tão à frente e deixar jogar. Pressionando mais faria mais faltas e era isso que o Braga estava à espera para se acabar com um festival de cartões amarelo e vermelhos. Jogando assim, o Sporting esteve várias vezes em igualdade numérica e mesmo em superioridade em lances de ataque. O Sporting teve dois lances de baliza aberta: um do Willson Eduardo e outro do Carrillo. Agora, o Sporting ainda não consegue controlar os jogos quando está em vantagem.

      SL

      Eliminar
  4. Excelente visão de jogo caro Rui.
    No entanto, eu também acho que foi sorte. Não é qualquer árbitro que consegue ver e, mais difícil ainda, marcar uma falta daquelas e expulsar um jogador do Braga. Foi sorte. Apanhámos um honesto ou a atravessar uma crise existencial.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Ficamos pela crise existencial.

      Um abraço

      Eliminar