quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Não me peçam para os ouvir

Tentei ver a entrevista do Bruno de Carvalho. Não aguentei muito tempo: um xarope que não há memória. Ver três jarrões a fazer uma entrevista foi demais para mim.

Não é um problema específico desta entrevista. Futebol é bola e jogadores. Futebol é jogo. Antes e depois é para os adeptos. Todos os outros são dispensáveis: dirigentes, jornalistas, comentadores e por aí fora. Não discuto a sua utilidade. Não me peçam é para os ouvir.

Sem comentários:

Publicar um comentário