segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Ora vamos lá ver

Ora vamos lá ver. A malta não se consegue mexer. A pré-época deve ter sido à base de peladinhas e corridas à volta do campo. Neste chega que não chega do novo treinador, devemos ter mesmo deixado de treinar. Aliás, o único que pareceu um pouco melhor foi o Viola; o único que não fez a pré-época com o Sá Pinto.

A defesa é uma coisa de ir às lágrimas. Tem pelo menos uma vantagem: a de demonstrar que o Rui Patrício é o melhor guarda-redes português e um dos melhores da Europa. O Freitas Lobo, não me esqueço, no jogo contra o Guimarães bem foi avisando que este ano não era pelos centrais que íamos falhar. De quem diz do Purovic o que nem da primeira namorada se diz, é de desconfiar. Uma pergunta: alguém tinha visto o Boulahrouz e o Rojo jogar antes de os contratarem?

Do meio campo não sou capaz de falar. Não sei se existe. Andam para lá uns jogadores, mas não ganham uma única bola, não conseguem sair com ela e muito menos passá-la entre eles e servir os avançados. É mais ou menos a mesma coisa do ataque. Um dia, vamos conseguir marcar um golo, mas só um dia.

A sorte é que a Académica jogou o jogo todo com um olho no burro e outro no cigano. Andaram o tempo todo desconfiados, não fossemos estar a enganá-los e, num ataque fulminante, acabássemos por dar cabo deles. Em nenhum momento acreditaram que pudéssemos jogar tão pouco.


(Não jogamos nada, mas isso não nos retira qualquer direito; o direito, pelo menos, de marcarem as faltas a nosso favor quando tal se justificar. A não marcação do livre indirecto dentro da área no último minuto foi mais uma vergonha)

20 comentários:

  1. É chegada a hora do "wake-up call": a equipe do SCP é fraca. Muito fraca.
    O que torna ainda mais hilariante a contínua aposta em nulidades como o Adrien, os dois centrais, Jeffren, Izmailov, etc., etc..
    Esta equipe não tem qualidade suficiente para lutar pelo 3º lugar...
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Paulo Catarino,

      Não sou tão crítico. O nosso campeonato é ridículo. A nossa equipa B ou, mesmo, uma conjunto de bidões com a nossa camisola corriam o risco de ficar em terceiro. Não precisamos de jogar grande coisa. Só não precisamos é de ser ridículos.

      SL

      Eliminar
    2. Caro Rui Monteiro,

      Não posso concordar com tal.
      O Braga (de onde escrevo, aliás!) tem uma equipe muito superior à do SCP. Não é uma questão de individualidades, mas sim de coesão e organização.
      Assisti atentamente ao jogo de hoje, sabendo que se tratava de um jogo crucial, para ver se os atletas do SCP se conseguiriam "superar" no sentido de dar alguma (que pouca) esperança para o que resta da época.
      O resultado foi o que vimos.

      SL

      Eliminar
    3. Caro Paulo Catarino,

      Também moro em Braga. Gosto do Braga. Mas, vamos lá ver, joga lá o Custódio. Vamos ter calma.

      SL

      Eliminar
    4. Caro Rui Monteiro,

      Por incrível que pareça (e é mesmo incrível!), quer o Custódio quer o Hugo Viana (só para falar de ex-sportinguistas) seriam, neste momento, titulares "de caras" no SCP...

      SL

      Eliminar
    5. Caro Paulo Catarino,

      Se jogassem no Sporting jogavam ainda pior do que os que lá andam. Já lá andaram e não se viu grande coisa. Jogar no Sporting dá azar. aliás, os jogadores do Sporting no Braga seriam campeões.

      SL

      Eliminar
  2. Eu discordo. A equipa tem todas as hipoteses de lutar pela champions. Parece-me é que as decisões são tomada erradamente.
    Temos de acordar rapidamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Venha de lá o treinador e mais nada.

      SL

      Eliminar
  3. Falar mal dos jogadores é fácil. Nem me dei ao trabalho de ver / encontrar o currículo de todos.

    Rui Patricio – 13 A
    Arias – Colombia – 14 S20
    Boulahrouz – Holanda – 35 A
    Rojo – Argentina – 9 A
    Insua – Argentina – 4 A
    Rinaudo – Argentina – 3 A
    Schaars – Holanda – 18 A
    Adrien – ? sub 23
    Pranjic – Croácia – 20 A
    Viola – Argentina – ? S20
    Wolfswinkel – Holanda – 1 A
    Ismailov – Russia – 35 A
    Gelson – Suiça – 37 A

    Não é óbvio que estes jogadores têm obrigatoriamente de ficar pelo menos em terceiro no campeonato português? E disputar as últimas fases da liga europa? Só por milagre alguém conseguiria juntar no mesmo plantel os 20 internacionais mais merdosos do mundo. E não são internacionais pelo Casaquistão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Leão F*****,

      Eu também pensava assim. Que o plantel do SCP tinha valia suficiente para competir de forma interessante.
      Mas não tem.
      Se não fosse o Rui Patrício, hoje o SCP teria quebrado os recordes negativos da sua história.
      Hoje em dia, não consigo sifragar a tese de que "os jogadores até são bons, mas falta ali qualquer coisa..."

      SL

      Eliminar
    2. Meu caro Leão,

      O Sporting tem equipa mais do que suficiente para ficar em terceiro lugar. O problema não é dos jogadores (embora os dois centrais centrais até agora pareçam risíveis).

      SL

      Eliminar
  4. A estrutura do Porto, potencia os jogadores. Um jogador que vale um 15, no Porto joga 20! O mesmo jogador no Sporting joga um 5!

    Não tenham duvidas do seguinte, se fizessem o exercicio de trocarmos todo o plantel do Sporting com o plantel do Porto, lutaríamos de forma sofrida com o Braga pelo 3º lugar, enquanto que o Porto seria campeão a 3 jornadas do fim, com 32 golos do holandês.

    Não duvidem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não exageremos, o holandês dificilmente acertaria na baliza mais de 20 vezes...

      Eliminar
  5. Foi mau demais. Foi angustiante. Foi de levar ao desespero. Uma equipa perdida psicologicamente e sem capacidade para impor a sua qualidade em campo. Não há optimismo que consiga resistir ao que se tem passado, semana após semana, quando o Sporting entra em campo. Voltámos a não sofrer golos, algo que só tinha acontecido com V. Guimarães e Basileia, mas por outro lado o ataque foi miserável. Sem dinâmica, sem desequilíbrios e com uma estratégia muito mal pensada, à espera que uma consistência da mediocridade pudesse fazer a diferença. Oceano também é culpado, muito culpado. Afinal de contas, isto também é o Sporting.

    Gosto de acreditar que aprendi a ser do Sporting, ninguém me ensinou, ninguém me forçou ou indicou o caminho. Encontrei uma figura a copiar na família e percebi com ela o sportinguismo. Dava-me lições do que era o Sporting mas sem me impor o que quer que fosse. Mostrava-me o que o clube tinha de bom sem sequer precisar de dar a entender o que tinha de mau. Era a fase do jejum, ninguém deixava passar isso em claro. Não faltavam adultos a promover lavagens cerebrais, a ridicularizar o Sporting e a vangloriar o Benfica. Ser do Sporting era mais do que isso, era ter orgulho.

    É perfeitamente natural que tenha uma visão mais romântica daquele tempo, de achar que naquela fase, apesar de não ganharmos, é que era. Para mim, era porque havia Balakov, um mago búlgaro que fazia tudo. A classe abundava naquelas equipas, com Figo, Cadete, Peixe e até Nélson e Paulo Torres pareciam dois laterais de fazer inveja a todos os adversários. Ofensivos como se queria numa equipa com o Sporting. Mas sejamos honestos, essa geração apareceu num período em que o Sporting esteve 13 anos sem ganhar um único campeonato, uma única Taça de Portugal. Salvou-se uma Supertaça a que fomos por termos perdido a Taça de Portugal. Por outro lado, tenho a certeza que quem tenha nascido dez anos, dirá o mesmo do que eu mas sobre António Oliveira ou Manuel Fernandes. E que quem veio depois terá João Pinto ou Hugo Viana. É sinónimo do romantismo que sentimos quando estamos a crescer em volta de um fenómeno.

    O mundo mudou. O Sporting parece estar imerso numa nova fase terrível e leio constantemente desabafos de adolescentes que dizem que o Sporting não é isto. Têm 15, 16, 17 anos. Faço as contas e vejo que não sabem o que dizem. Só por terem aprendido a falar enquanto se ganhavam títulos, não quer dizer nada. O Sporting não devia ser isto, isso sim. Mas é isto. É isto agora, foi isto há 20 anos, foi isto praticamente desde a década de 60, em que se contentava por ganhar um título a cada três do Benfica.

    E o que posso dizer mais? Este Sporting está capaz de envergonhar o adepto mais optimista mas ser do Sporting continua a ser um orgulho. Ser do Sporting é ser diferente, sim. Não é melhor, nem pior, é diferente. Ter liberdade de escolha e optar pelo Sporting é único. Não é ser alternativo ou hipster, mas ter personalidade. Não é ser refém do "maior de Portugal" ou do que ganha mais. É abrir os olhos, ponderar e escolher um caminho, porque a vitória não pode ser o único fundamento de uma escolha, de uma paixão.

    Sofro com este Sporting. Sofro eu, sofres tu, sofrem os adolescentes que acreditam que isto não é o Sporting. Infelizmente, já não sofre quem me mostrou o que era ser do Sporting. Já morreu e é uma pena. Faz-me falta ter alguém tão próximo com quem partilhar este orgulho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro,

      Grande texto. Amanhã vou publicá-lo.

      SL

      Eliminar
    2. Obrigado Rui. Surgiu por esta desolação individual com o que se passa e com a ideia do último parágrafo. Custa sempre sofrer, mas custa mais já não sofrer da mesma forma, com os mesmos confidentes

      Eliminar
    3. Caro Sporting Pensado,

      Esse foi um excelente texto.
      Meus agradecimentos por me/nos ter propiciado a possibilidade/felicidade de o ler.

      Sofremos. É verdade.
      Mas já sofremos antes. E muito.
      Este pode ser um "annus horribilis" (sp?), mas cá estaremos para o próximo.

      Tenhamos fé.

      SL

      Eliminar
  6. Na Mouche! Simplesmente simples e eficaz, a radiografia da equipa que dissem ser o Sporting Clube de Portugal...

    ResponderEliminar